Caminhonete usada por suspeitos de matar prefeito de Colniza (MT) é localizada em mata com marcas de tiros

Caminhonete usada no crime foi encontrada em área de mata (Foto: Polícia Civil-MT/ Divulgação)

Uma caminhonete usada pelos suspeitos de assassinar o prefeito de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, Esvandir Antônio Mendes (PSB), de 61 anos, na sexta-feira (15), foi localizada nesse sábado (16) pela polícia, escondida em uma área de mata, a cerca de 3 km da BR-174, no município. Esvandir foi executado com vários tiros dentro do carro dele. Ele não reagiu.

Os três suspeitos do assassinato de Esvandir, mais conhecido como Vando, também foram presos no sábado.

O delegado da Polícia Civil Edson Ricardo Pick, que comanda as investigações sobre o crime, afirmou que o veículo estava com marcas de tiros e com os vidros quebrados.

Dentro da caminhonete, foram encontradas munições de pistola calibre 380 e fuzil calibre 32, além de balas já deflagradas.

Também foi encontrada perto do veículo uma mochila com munições e anotações sobre o planejamento do crime. “Próximo do veículo foi encontrada uma mochila com várias munições calibre 38, documentos, além de uma agenda com anotações do crime, que serão analisadas, e um fuzil calibre 22”, afirmou o delegado.

Segundo o G1 apurou, a polícia trabalha com a suspeita de que o crime tenha sido cometido por causa de dívidas de campanha ou da prefeitura.

Suspeitos foram presos por policiais do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra) da Polícia Civil (Foto: Harlis Barbosa/Arquivo pessoal)

Os presos

O empresário Antônio Pereira Rodrigues Neto, Zenilton Xavier de Almeida e Welisson Brito Silva, foram presos em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira, a 893 km e 780 km de Cuiabá, respectivamente, no sábado. No carro em que eles estavam, a polícia encontrou R$ 60 mil, que seriam referentes ao pagamento pela execução de Esvandir.

Os suspeitos estão presos na Cadeia Pública de Colniza. A reportagem ainda não localizou o advogado do empresário.

À polícia, Antônio, que é apontado como suspeito de ser o mandante do crime, disse ter jogado uma pistola no rio, mas que só vai comentar detalhes do crime em juízo. Ele é empresário no ramo de rede de combustível e táxi aéreo, segundo a polícia.

Welisson estava com um mandado de prisão em aberto expedido pela Justiça do Pará por tentativa de homicídio.

Já Zenilton tinha uma passagem por porte ilegal de arma de fogo. Eles disseram que só vão falar em juízo e já solicitaram defensor público para defendê-los no caso.

Welisson e Zenilton teriam sido supostamente contratados por Antônio para cometer o crime.

O defensor público Diego Rodrigues Costa, que atua em Colniza, afirmou que nesta segunda-feira (17) eles devem passar por audiência de custódia.

 

Mapa mostra a localização de Colniza, onde ocorreu o crime (Foto: Arte G1)

a localização de Colniza, onde ocorreu o crime (Foto: Arte G1) Mapa mostra a localização de Colniza, onde ocorreu o crime (Foto: Arte G1)

O prefeito dirigia uma caminhonete preta e estava acompanhado do secretário de Finanças, Admilson Ferreira dos Santos, de 41 anos, quando dois homens se aproximaram do veículo, a aproximadamente 7 km da entrada da cidade.

Os criminosos efetuaram vários disparos contra o prefeito, que ainda conseguiu dirigir até o perímetro urbano.

Dois disparos feriram a perna esquerda e as costas do secretário, sendo um na perna esquerda e outro nas costas. Ele está internado no Hospital Municipal de Juína, a 737 km de Cuiabá, e o estado de saúde é estável. G1

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta