MPF manda Polícia Federal investigar Odilon de Oliveira

Concorrente ao Governo do Estado é alvo de inquérito – Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

O juiz federal aposentado, Odilon de Oliveira, e candidato a governador pelo PDT será investigado pela Polícia Federal. O procurador da República, Marcos Nassar, determinou abertura de inquérito apurar se as declarações do ex-assessor e primo de Odilon, Jedeão de Oliveira, são verdadeiras. A investigação deve ser conduzida pela Delegacia de Combate à Corrupção e a Crimes Financeiros (Delecor).

Em 15 de junho último, Jedeão – que responde na Justiça Federal pela prática (por 26 vezes) do crime de peculato – fez várias acusações contra Odilon, como por exemplo, vender sentenças judiciais e manipular escutas telefônicas.

O próprio juiz Odilon de Oliveira já havia pedido (no dia 4 deste mês) para abrir inquérito contra si. “O interesse maior desta investigação é meu”, disse nesta segunda-feira (17) o magistrado aposentado e candidato ao governo.

“A investigação impõe-se no caso também para, caso constatada eventual falsidade proposital dos relatos apresentados por Jedeão de Oliveira – primeiro a este órgão ministerial e, depois, à imprensa – apurar-se possível prática de denunciação caluniosa outro delito por ele”, afirmou o procurador Marcos Nassar, em despacho.

Apesar da determinação do integrante do Ministério Público Federal, a Polícia Federal terá de agir contra a vontade de seus integrantes. Anteriormente, em 31 de agosto último, a PF foi contra a abertura de inquérito, alegando, entre outros argumentos, que “tais processos (com supostas ilegalidades) já passarão nas mãos do declarante (…) e este não indicou a existência de documentos em tais autos.

Em sua decisão, o procurador Marcos Nassar ainda pôs fim ao sigilo do procedimento aberto a partir das acusações de Jedeão. A justificativa do representante do MPF, é de que, declarações do ex-servidor ao jornal Folha de S.Paulo, em reportagem publicada no mês passado, fez com que não existissem mais motivos para manter o sigilo das informações.

Armação política

Odilon de Oliveira, afirma que as acusações de Jedeão, podem integrar uma “armação política”. “Na decisão, o MPF destaca o fato de o ex-servidor, por mim demitido, fazer essas acusações apenas quando eu me lancei candidato ao governo do Estado. Está clara a armação política. E quem garante que o responsável por essa armação não é o dono daquela cara de pau que a televisão nacional tem mostrado nos últimos dias?”, afirma o juiz aposentado e candidato ao governo.

Entre os fatos denunciados por Jedeão, está o uso de escutas clandestinas de telefone, e em ambientes, inclusive a Polícia Federal, o que o ex-servidor chama da “arapongagem”. Correio do Estado

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *