Chuvas já deixaram pelo menos 117 pessoas desabrigadas no Estado

Rio Aquidauana transbordou e pessoas passaram a ficar sem acesso a ruas – Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Chuvas que atingiram municípios de Mato Grosso do Sul nesta segunda e terça-feira deixaram pelo menos 117 pessoas desabrigadas, segundo a Defesa Civil Estadual. Desde o ano passado, nos 21 municípios com decreto de emergência vigente, 76 mil pessoas foram atingidas.

Em Aquidauana, município mais afetado pelas chuvas, prefeitura local publicou hoje decreto de situação de emergência. Conforme o decreto, a elevação do rio causou danos em vias urbanas, destruição e danificação em residências, pontes de acessos, ruas e estradas.

Coordenador adjunto da Defesa Civil estadual, coronel Fábio Catarineli, disse ao Portal Correio do Estado que em Aquidauana 102 pessoas estão desabrigadas e em Bela Vista há três desabrigadas e 12 desalojadas.Catarineli destacou que o número de pessoas afetadas pelas chuvas deve ser maior, já que a Defesa Civil considera como afetada todas as pessoas que de alguma forma foram atingidas pelas chuvas, como quem tem o direito de ir e vir prejudicado por conta de estradas interditadas, por exemplo.

No entanto, segundo o coronel, como os atendimentos ainda estão sendo realizados nos municípios atingidos pela chuva nesta semana, a contabilização ainda não foi feita.

Em Mato Grosso do Sul, contabilizando Aquidauana, 21 municípios estão com decreto de situação de emergência vigente. Nestas cidades, 76 mil pessoas foram afetadas. O decreto é válido por 180 dias, portanto, conforme explicou o coordenador adjunto, algumas situações são do ano passado e não incluem os atingidos pelas chuvas de segunda e terça.

“Este é o número de afetados de todos os municípios que decretaram situação de emergência. Afetados a gente considera os que de alguma forma foram atingidos, por exemplo, afetou a área rural, prejudicou a produção rural, o escoamento da produção, o retorno do calendário escolar por conta do transporte, tudo isso é computado”, explicou Catarineli.

Além dos municípios em emergência, Defesa Civil monitora as áreas atingidas por chuvas intensas, nas regiões de Anastácio, Miranda, Bonito, Jardim e Coxim.

CHUVAS

Hoje, o rio Aquidauana amanheceu com volume de água superior a 10 metros acima do nível. Segundo o governo do Estado não é mais possível mensurar porque a régua está submersa. As pontes que ligam Aquidauana a Anastácio estão embaixo d’água e o Exército improvisou uma travessia para pedestres com barcos.

Em Anastácio, um frigorífico da JBS foi inundado e três bovinos morreram afogados. O abate foi suspenso na unidade e cabeças de gado foram removidos para uma fazenda vizinha.

Boletim da Sala de Situação do Instituto de Meio ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) mostra que o Rio Miranda está sete metros acima do nível e já provoca alagamentos.

A forte chuva também causa transtorno a produtores rurais de Corumbá. Ontem, o Sindicato Rural do município emitiu alerta para que o gado de áreas alagáveis da planície pantaneira seja recolhido com urgência, pois há previsão de cheia no Rio Paraguai com a continuidade das chuvas.

Em Jardim, estrutura da ponte de concreto sobre o rio dos Velhos foi comprometida com a força das águas e prefeitura interditou o local. Correio do Estado

Fotos: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta