Restaurantes mantêm PF por ‘cincão’ para não perder clientela em Campo Grande

O preço da comida fora de casa tem chamado a atenção em Campo Grande. Mesmo com a alta no custo dos alimentos nos mercados, os restaurantes preferem manter o preço mais baixo para conquistar a clientela. No centro da cidade, é possível encontrar PFs (pratos feitos) com valores entre R$ 5,00 a R$ 10,00.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), houve uma desaceleração no preço da comida fora de casa no Brasil. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) confirma, o valor da refeição subiu menos que o custo dos alimentos em janeiro. No mercado, alguns itens têm alta visível, um exemplo é o tomate, com alta de 48,19% no último ano.

Ao passar pela Dom Aquino, a dona de casa Tereza Freitas não resistiu à tentação de provar um PF vendido a R$ 7,00. “Eu nem sou daqui, mas passando pela rua decidi entrar. Você fica desconfiada, mas a qualidade é boa”, conta. O valor da refeição pode até estar atrativo para o consumidor, mas os donos reclamam dos preços dos alimentos.

Lucinéia Castro é sócia de um restaurante no shopping do centro e nota a variação porque faz compras todos os dias. “Eu percebi que as verduras aumentaram muito [de preço], mas tem coisa que ficou mais barata, como o feijão. A gente vê quando muda, mas mantemos o nosso valor de sempre”. O restaurante tem uma filial na rua Barão do Rio Branco e está no mercado há mais de 20 anos. Segundo a sócia, o estabelecimento prefere vender a preços baixos para manter a clientela. O segredo é a quantidade de pratos vendidos, todos os dias são cerca de 1.500 PFs a R$ 5,00.

Um restaurante na rua Dom Aquino é outro que vende PFs a R$ 5,00. A proprietária Danielle Mendonça também não considera mudar o valor “Estamos neste endereço há quatro meses e vendemos 80 pratos por dia. Não podemos subir para não perder os clientes, tem que manter o preço”, conta.

A confiança mantém a clientela

Um outro restaurante na rua Dom Aquino resolveu fazer diferente e aumentou o preço do PF no início deste mês. Márcio Mello conta que por causa do valor dos alimentos, a mudança foi inevitável. “Dia 2 de fevereiro eu mudei de R$ 6,00 para R$ 7,00 e o movimento caiu muito. Estou neste local há quatro anos e vendo 400 pratos por dia, pelo menos até antes de subir, né. Está tudo muito caro, eu tive que subir [o preço] para poder pagar as despesas”.

O movimento enfraqueceu, mas alguns clientes se mantiveram fiéis pela confiança. À moda antiga, José Francisco Santana come no local quase todos os dias e anota o valor em uma ficha no caixa do restaurante. O estoquista paga após receber o salário do mês. “Agora aumentou um pouquinho mas eu vou continuar comendo aqui. Sempre que recebo, eu pago e dá cerca de R$ 140,00”. Midiamax

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta