Senador Nelsinho Trad é eleito presidente do diretório regional do PSD; nova executiva terá três anos de mandato

Governador Reinaldo Azambuja prestigiou Nelsinho Trad

O senador Nelsinho Trad foi eleito na manhã deste sábado, em convenção estadual do partido, para presidir o diretório regional do PSD em Mato Grosso do Sul com 54 votos. São 60 delegados com direito a voto e houve a abstenção de seis. A nova executiva, composta por 14 membros, terá três anos de comando da sigla. “Vivemos um novo tempo na política, as regras eleitorais mudaram e devemos seguir com o nosso slogan Força e Ação”, discursou o senador Nelsinho Trad.
Aclamado com apoio dos 57 diretórios constituídos – todos os presidentes estiveram presentes no ato – e dos aliados nas eleições passadas (governador Reinaldo Azambuja (PSDB), deputado federal Beto Pereira (PSDB), presidente regional do PSDB Sérgio de Paula, prefeito de Sidrolândia Marcelo Ascole (PSL) e presidente regional do PSB Ricardo Ayache, o senador Nelsinho Trad disse em seu discurso que não é fácil montar um partido. “O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, me deu a missão de reestruturar o partido até o dia 29 de junho. Dividimos o Estado em três grupos para podermos cumprir o prazo. Hoje estamos oficializando 57 diretórios em Mato Grosso do Sul e, até o final de julho, vamos finalizar o restante”.
Para os 6.392 pessedistas no Estado, o momento é de fortalecimento político rumo às eleições municipais de 2020. “Criamos diretórios para que todos sejam candidatos, vamos fazer o embrião forte do PSD, vai ser o partido forte do Estado”, afirmou o deputado estadual Londres Machado (PSD) com 12 anos de mandato, eleito o primeiro vice-presidente da nova executiva.
Nomeado vogal da executiva, o deputado federal Fábio Trad (PSD), destacou a importância de qualidades na sigla para o fortalecimento político. “Precisamos de um partido pujante, um partido que tenha a expressão viva da esperança. Hoje, muitos estão buscando os radicais. O radicalismo não é o melhor conselheiro para se alcançar as virtudes. Na vida, se exige temperança, o equilíbrio. Aqui está o partido do equilíbrio”, enfatizou o deputado federal Fábio Trad.
Atualmente, o PSD no Estado conta com os seguintes cargos eletivos: 1 senador, 1 deputado federal, 1 deputado estadual, 1 prefeito, 1 vice-prefeito e 26 vereadores. “Nas próximas eleições, vamos multiplicar esses números. Esse é o nosso desafio”, disse o presidente do partido aos pessedistas. Assessoria de Imprensa do Senador/Neiba Ota

Abalada, vítima de estupro relata momentos de terror ao lado da filha

Polícia atende a ocorrência de estupro

Um crime bárbaro aconteceu nas primeiras horas da manhã deste sábado, em um Bairro na região sul da Capital. Uma jovem de 21 anos foi estuprada dentro de casa, ao lado da filha de apenas 3 anos de idade.

Apesar de muito abalada em virtude do ocorrido, a vítima contou à reportagem do Jornal Midiamax que chegou em casa por volta das 4h da manhã deste sábado (17), e que foi acordada pelo criminoso algumas horas depois, perto das 7h da manhã.

A jovem relatou que foi acordada pelo estuprador, que estava armado com uma barra de ferro e uma faca, que ela acredita que tenha sido retirada na cozinha da própria casa.O criminoso ameaçava matar mãe e filha durante o estupro.

Após o crime, ela acionou o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e foi levada para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), onde recebeu atendimento médico e medicamentos.

Pouco antes das 11h da manhã, após ser liberada da UPA a vítima foi levada por uma viatura da Polícia Militar para prestar esclarecimentos na delegacia. Midiamax

Homem mata o pai, duas irmãs e mais duas pessoas e incendeia casa em Campinas

Casa dos pais de Antônio Ricardo foi incendiada

“Ele tava revoltado, só pode ser”, afirma Santo Pereira do Santo, tio de Antônio Ricardo Gallo, que matou o pai, duas irmãs, o atual companheiro da ex-namorada e um vizinho antes de se matar no distrito de Sousas, em Campinas, na manhã desta segunda-feira (30).

O parente que recolhe, entre os escombros, documentos e pertences dos familiares mortos com medo de furtos, afirma que o atirador era “quietinho, mas dentro de casa era meio estranho, brigava muito com a família.”

Santo, e outro familiar, separam algumas caixas e sacolas.

Os familiares narram a trajetória do crime. Eles afirmam que Gallo atirou primeiro na irmã, Ana Cristina Gallo, que estava a caminho do trabalho. Na sequência matou o pai, na frente da casa. Chamou o vizinho, Elenilson Freiras do Nascimento, que foi alvejado ao abrir a janela da casa.

Por último atirou em Alexandra Gallo, que além de ter sido baleada, foi queimada pelo atirador, que ateou fogo na residência. A casa de quatro cômodos na periferia de Campinas ficou parcialmente destruída.

Santo, relata que o atirador tinha problemas com o pai, que recolhia reciclagem, e já tinha sido preso por agredi-lo. “O pai dele não reclamava, sofria sozinho.”

Apesar dos conflitos, o familiar se diz surpreso com o crime. “Isso foi uma tragédia que a gente não esperava jamais.”

Segundo parentes, o atirador liberou dois sobrinhos e uma irmã com síndrome de Down. “Vou poupar vocês.”

Gallo se matou na avenida Prestes Maia ao ser abordado por policiais militares. R7