História de Cassilândia: João Albino construiu a cadeia em 1960 que foi inaugurada pelo assassino Zé Pinto

João Albino Cardoso, prefeito eleito em 1958 / Foto Museu da Imagem de Cassilândia

Até o ano de 1960, a baderna corria solta em Cassilândia e a segurança era uma palavra que não existia, mesmo com homens de certa periculosidade circulando soltos, a exemplo de Zé Pinto, Camisa de Couro e Getulinho. Não havia polícia por aqui, a não ser, de vez em quando, com a vinda de algum policial de Paranaíba.

Preocupado com essa situação, o prefeito João Albino Cardoso resolveu correr atrás das autoridades, iniciou a construção da delegacia de polícia e conseguiu a transferência de policiais para a Terra de Cassinha. A primeira cadeia foi construída na área onde hoje está o Supermercado Esquerdão, ali na Rua Antônio Paulino.

A cadeia se resumia a uma construção simples com uma boa tranca na porta. Os seus hóspedes mais frequentes eram os bêbados e os maridos que gostavam de bater em suas mulheres. Em dias de baile o movimento era maior, afinal sempre alguém bebia a mais e começava a dar uma de valentão.

João Albino Cardoso era dono de uma serraria entre as ruas Domingos de Souza França e Antônio Paulino, elegeu-se prefeito em 1958, sendo o segundo prefeito de Cassilândia, logo depois de Sebastião Leal, também eleito, já que Chaim, o Caetano Nogueira da Cunha havia sido nomeado para um curto mandato.

O prédio da delegacia tinha três cômodos, no centro ficava o vigilante e nas extremidades ficavam as celas.

O caso policial primeiro da história da delegacia aconteceu com a prisão de um bandido chamado Zé Pinto, que havia roubado o churrasqueiro Totonho, durante uma festa em Costa Rica, relativa a um comício do candidato a governador Fernando Correa da Costa.

O churrasqueiro estava com uma boa quantia ano bolso e o bandido Zé Pinto armou-lhe uma tocaia, desferindo tiros pelas costas e matando-o. Em seguida, atirou também na cabeça da mula, que, feria, foi até a festa e as pessoas tomaram conhecimento do ocorrido. A polícia perseguiu o tal bandido e o prendeu. Assim o bandido Zé Pinto acabou inaugurando a cadeia construída pelo prefeito João Albino Cardoso.

Zé Pinto estreou a cadeia de João Albino, mas o grande bandido daquela época era realmente Camisa de Couro, que merece um capítulo à parte. Este depois foi morto por dois policiais militares em Três Lagoas com uma saraivada de balas, segundo contam alguns cassilandenses das antigas.

Esses arruaceiros e tidos até como de alta periculosidade Camisa de Couro e Getulinho, que teriam vindo para estas bandas a convite de uma grande fazendeira, conhecida por se envolver em grilagem de terras e de contratar pistoleiros para aniquilar com suas vítimas, os fazendeiros que assim tinham suas terras tomadas pelo mandante de diversos crimes, conforme contaram alguns pioneiros a este escritor.

Hoje, Cassilândia conta com os serviços de segurança das polícias Militar e Civil, além de outras autoridades competentes que são pagas para zelar da população.

Com o avanço do tráfico de drogas e por ser esta região parte da rota do contrabando que parte da fronteira com países sul-americanos, toda atenção é pouca. Mas a polícia vem lutando para fazer a sua parte. Cassilândia não é diferente dos demais municípios brasileiros e apresenta problemas sociais graves também relacionados à segurança pública. Extraído do livro A História de Cassilândia, de Corino Rodrigues de Alvarenga

Compartilhe:
Posted in Noticias and tagged .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *